Mostrar mensagens com a etiqueta côco. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta côco. Mostrar todas as mensagens

8 de agosto de 2017

Semi-frio de amoras silvestres

Adoro cheesecake, mas como agora não consumo o "cheese", fica meio difícil fazer ou comer o "cake". Há dias uma amiga publicou um semi-frio delicioso, mas como estou em protocolo auto-imune, é preciso recorrer a outros ingredientes dentro dos permitidos.

Para quem não conhece o protocolo, parece ser muito restritivo em termos de escolhas disponíveis. Mas como em tudo na vida, há que estabelecer prioridades, e a minha é ter saúde, visto ter Fibromialgia e 2 doenças auto-imunes. E com o protocolo tenho conseguido controlar e minimizar os sintomas.

Mas vamos ao que interessa!

Há dias tinha feito uns "iogurtes" de coco e tinha ainda um para gastar. E resolvi aproveitá-lo da melhor maneira 😏


As quantidades são irrisórias porque fiz só um pequenino para mim, uma vez que aqui em casa mais ninguém me segue, mas é uma questão de multiplicar os ingredientes.


Precisei dos seguintes INGREDIENTES PARA A BASE:
2 colheres de sopa de coco ralado
1 colher de sopa de farinha de alfarroba
1 pitada boa de canela de Ceilão
Açúcar de coco q.b. (aqui só polvilhei porque as quantidades eram poucas), podem usar mel ou outro adoçante natural ao vosso gosto
2 colheres de sopa de óleo de coco (o meu estava derretido, mas se estiver sólido, basta 1 colher e derreter)




Mexi tudo bem com uma colher e forrei a base de uma forminha redonda (esta tem 8 cm de diâmetro) e levei ao frio para solidificar.




O RECHEIO:

Raspa de meia lima
1/2 saqueta de gelatina neutra em pó

Derreti a gelatina num pouco de água quente e depois de dissolvida, juntei-a ao iogurte já com as raspas de lima. Depois de tudo bem misturado, cobri a base do semi-frio e levei novamente ao frigorífico para solidificar.




PARA A COBERTURA usei:

50g de compota de amoras silvestres (receita aqui)
1/2 saqueta de gelatina neutra em pó

Aqueci a compota uns segundos no microondas e juntei a gelatina em pó e mexi até dissolver.
Depois de bem misturada, cobri o semi-frio já solidificado.
E levei de novo ao frio.


Depois de solidificado, retirei e desenformei e ...comi 😁😁.


É muito fácil de fazer e é ótimo para aproveitamentos.


28 de julho de 2017

"Iogurte" de coco

Coloquei iogurte entre aspas porque para mim, iogurte tem de ser fermentado e este não foi. É mais uma sobremesa, mas pela textura e sabor, passa bem por iogurte.

Quem reside em Portugal, não tem noção que fora do país, não há a mesma oferta de produtos e é preciso inovar bastante. Aqui não encontro iogurtes vegetais de compra, a não ser de soja e isso está fora de questão.



Claro que é muito fácil de fazer. Desta vez usei só leite de coco de compra, mas da próxima vez faço com leite de coco caseiro, mas não tenho encontrado coco para fazer.

INGREDIENTES:

2 latas de leite de coco (usei da ALNATURA) de 400 ml
1 saqueta de gelatina em pó neutra (6g) também podem usar agár-agár mas eu não gosto do sabor
Para mim não foi necessário, mas quem gostar deles doces, pode adicionar um pouco de açúcar de coco ou mel

PREPARAÇÃO:

Usei a Bimby.
Deitei o conteúdo das duas latas de leite no copo da Bimby e programei 4 mins/ vel.3/ temp. 50º.
Quando faltavam 30 segundos para acabar o tempo, adicionei a gelatina pelo bocal, sem deixar de mexer.
Dispus o conteúdo em copos de iogurte e levei ao frio de um dia para o outro.




Para quem não tem Bimby, pode levar o leite de coco ao lume, tendo o cuidado para não deixar levantar fervura.

No dia seguinte, tinham esta textura.



Escusado será dizer que me regalei ao pequeno-almoço!

Adicionei amoras silvestres que tinha apanhado durante uma caminhada e por cima coloquei um pouco da compota que tinha feito com as mesmas. A compota era de amoras mas a receita foi esta, porque dá para todas as frutas.






19 de junho de 2017

Cookies de coco AIP, paleo (sem ovo, sem lacticínios, sem oleaginosas)


Andava há tanto tempo a querer umas bolachinhas que pudesse trincar de vez em quando. Já tinha tentado várias receitas, supostamente AIP, mas acabo sempre por deitar fora porque nunca fica capaz. Mais uma vez, tive que ir tentando e juntando e desta vez, correu bem.


Não ficam estaladiças, mas para quem tem tantas limitações de ingredientes, acho que ficaram muito bem. De sabor pelo menos, estão óptimas!

Usei os seguintes INGREDIENTES:

5 tâmaras (sem aditivos)
100 g de farinha de coco (receita aqui)
150 g de leite de coco (receita aqui)
100 g de óleo de coco
20 g de polvilho doce
1/2 ccafé de canela bio de Ceilão
1/2 ccafé de gengibre em pó bio

PREPARAÇÃO:

Para quem tem Bimby, basta juntar todos os ingredientes no copo e programar 30 segs/ vel 6.

Para quem não tem Bimby, pode fazer noutro processador, ou o copo misturador, desde que fique uma massa homogénea.

A massa fica com esta consistência.



Liga-se o forno a 180º.

Retira-se a massa e formam-se pequena bolinhas que se colocam num tapete de silicone ou papel vegetal. Ao dispor a massa sobre o tapete, espalmei com a espátula de forma a ficar com formato de bolachinhas (também deve ficar bom em forma de bolinho, mas da próxima vez, eu confirmo!)



Vão ao forno cerca de 15 minutos.




Espero que gostem!

7 de maio de 2017

Panquecas de batata doce sem ovo

Hoje apetecia-me fugir da sopa e dos legumes habituais e como é dia da mãe, resolvi que merecia.
Na verdade, não era preciso razão nenhuma especial, certo? 😃

Mas vamos ao que interessa...

O desafio permanente nesta alimentação, para mim, é a ausência do ovo. Não propriamente do ovo em sim, mas sobretudo pela falta que faz na ligação de massas ou panquecas. Mas, sendo por uma boa causa, tudo vale a pena!



INGREDIENTES:

100 grs de batata doce cozida
1 cs de farinha de coco caseira (receita aqui)
1 cs de coco ralado
1 cs de óleo de coco
100 ml de água morna
Canela q.b.


PREPARAÇÃO:

Eu costumo ter batata doce cozida, mas se não tiver também resolvo rápido.
Enrolo uma batata doce com casca e lavada, em papel de cozinha e levo ao microondas na potência máxima cerca de 5 mins. Isto para uma batata média, ou seja, se for uma batata grande, precisa de mais tempo.
Reduzi a batata a puré e juntei a água e o óleo de coco.
Juntei a farinha de coco, o coco ralado e a canela a gosto.
A massa fica espessa mas é mesmo assim.
Aqueci uma frigideira de crepes e untei com óleo de coco.
Fui deitando pequenas porções de massa e espalmei com a espátula.
O lume não pode estar muito alto para não queimar.
Deixei cozinhar de um lado e do outro com cuidado porque a massa "parte-se" com facilidade.
A minha filha, mesmo não gostando das minhas "receitas horrivelmente saudáveis" como ela diz, dizia que cheirava a natal e andava de volta de mim. Depois é que associei o cheiro da batata doce e canela, era o recheio das azevias que a minha mãe costuma fazer.

Recheia-se a gosto, eu cobri com manteiga de coco caseira (receita aqui), abacate, mirtilos e coulis de morango (receita aqui).

Deu para 7 panquecas, comi 1 enquanto estava a cozinhar e depois mais 1 com abacate.
Isto porque são bastante saciantes 😊

E feliz dia da mãe 🌺🌺

5 de maio de 2017

Maçã caramelizada com coco

Não sou muito de fazer grandes textos nas receitas que coloco aqui. Primeiro porque eu própria qd vou ver uma receita, nunca leio o blablabla, e depois porque nunca sei o que escrever. Por isso, vamos ao essencial.

Queria uma versão diferente da banana caramelizada (ver aqui) e resolvi fazer com maçã. Dá um apouco mais de trabalho, mas resulta na mesma ehehe.

Depois de algumas tentativas, a solução passa por se fazer assim:

INGREDIENTES:

1 maçã
Coco para panar
1 cs de óleo de coco
Canela q.b.


PREPARAÇÃO:

Aquecer uma frigideira anti-aderente com o óleo de coco.
Descascar a maçã e tirar o caroço com o descaroçador.
Cortar às rodelas grossas e deixar caramelizar lentamente no calor.
O lume tem de estar baixo, para ir cozinhando a maçã sem queimar.
Quando a maçã estiver a meio da cozedura, passa-se delicadamente por coco ralado e polvilha-se com canela e volta à frigideira para caramelizar o coco de um lado e do outro.

Banana frita com coco


É das sobremesas que mais gosto, simples e bem rápido de fazer.


Vão precisar de

INGREDIENTES:

1 banana madura
Coco ralado para panar
1 c. sopa de óleo de coco para fritar
Canela q.b



PREPARAÇÃO:

Aquecer uma frigideira anti-aderente com o óleo de coco.
Cortar a banana ao meio e depois no sentido longitudinal.
Passar a banana pelo coco ralado e fritar no óleo de coco. e polvilhar com canela a gosto.


Não há muito a dizer sobre isto, a não ser que é DE-LI-CI-O-SO!

1 de maio de 2017

Manteiga de coco


Como estou no protocolo auto-imune, estou sempre à procura de receitas e alternativas práticas para poder implementar no meu dia a dia. Apetecia-me qualquer coisa doce mas nas que encontrava faltavam-me sempre ingredientes pois eram receitas estrangeiras. Mas havia um ingrediente bastante comum a muitas delas, a manteiga de coco. Nunca tinha comido, nem tinha feito e resolvi experimentar. E é tão simples de fazer...


INGREDIENTES:

200 g de coco ralado sem aditivos

PREPARAÇÃO:

Colocar o coco na Bimby e programar vel.5-7-9 e depois passar à 10.
Fazer pequenas pausas para baixar o que vai ficando agarrado às paredes do copo.
Continuar o processo até o coco se tornar manteiga.

Para quem não tem Bimby, também pode fazer noutro processador ou picadora, desde q tenha um motor potente e que faça em menor quantidade.

;)

30 de abril de 2017

Biscoitos sem ovo

Bem, isto de fazer biscoitos ou qualquer outra coisa semelhante sem ovo, sem recurso a farinha e manteiga de oleaginosas, é desafiante mas também só assim aprendemos.

Mas apetecia-me ter algo que eu pudesse trincar de vez em quando uma vez que nozes, amêndoas, etc, estão fora de questão...

Andei  a ver em sites estrangeiros (ainda há pouca coisa para auto-imunes em português), mas usam ingredientes que nós não temos aqui. Depois fui tentar adaptar uma receita da Bimby mas a textura dos ingredientes utilizados não permitem com facilidade, formar bolinhas ou outras formas, mas aqui a malta é persistente e não eram uns biscoitos que me iam dobrar.

Fui fazendo e pesando, e deu mais ou menos isto e explico porquê...estou habituada à textura da farinha de côco feita por mim (receita aqui), mas desta vez usei uma de compra, bio e caríssima e não gosto nada da textura desta. A que faço fica leve e fofa e esta deixa uma sensação farinhenta na boca que não me agrada muito. Mas gastei o dinheiro e tenho que a utilizar. Mas vamos lá à receita:

INGREDIENTES:

100 g de óleo de coco derretido
100 g de leite de coco
100 g de manteiga de coco
100 g de farinha de coco
5 tâmaras
Raspa de 1 lima
Canela q.b.
2 cs de farinha de alfarroba

PREPARAÇÃO:

Juntar num processador o leite de coco, a manteiga, o óleo de coco derretido e a tâmaras.
Triturar tudo para desfazer as tâmaras, eu preferi deixar uns pedacinhos.
Aos poucos ir juntando a farinha de coco.
Dependendo da textura da vossa farinha, podem precisar de ajustar as quantidades.
Se ficar líquido, juntar mais farinha.
Se ficar espesso, juntar mais leite de coco ou óleo.
Dividi a massa a meio, numa metade coloquei raspa de lima e canela e na outra, a farinha de alfarroba.
A massa fica farinhenta (esqueci-me de tirar foto do "antes") e custa uma bocado a ligar pela falta do ovo. A solução que encontrei foi de colocar pequenas quantidades no fundo das formas de silicone, pressionando um pouco para a massa ficar "unida" e formar o biscoito.
Vão ao forno pré-aquecido, cerca de 10 mins.

Importante -  Retirar das formas depois de completamente frios.

Acompanham bem com um chazinho.
Felizmente são bastante saciantes, e com um biscoito apenas fazemos a festa!


Obs. Se a massa ficar mais espessa nas formas, fica menos quebradiça.


21 de abril de 2017

Mimos de morango

Chamei-lhes de mimos, porque era mesmo um miminho que me apetecia.
E que bons que estão.

Tinha comprado um cestinho de morangos bio. Ao fim de 2 dias no frio, já estavam a começar a estragar-se e antes que fosse o resto, aproveitei-os todinhos!

INGREDIENTES:

300 g de morangos
1 saqueta de gelatina em pó neutra
Canela de Ceilão a gosto
Côco para cobrir


PREPARAÇÃO:

Lavam-se e retiram-se os pés dos morangos.
Trituram-se os morangos e deixa-se cozinhar em lume baixo para não ferver.
A ideia é fazer uma pequena redução de forma a não necessitar de adoçar.
Quando a mistura começar a ficar translúcida, está no ponto.
Junta-se a gelatina em pó e mexe-se bem para dissolver e não deixar grumos.

Na Bimby:

Colocam-se os morangos cortados e programa-se 7 mins/ vel. colher/ 100º.
Coloca-se a gelatina em pó e programa-se 15 segs/ vel. 4.

Entretanto pincela-se umas forminhas de silicone com óleo de côco derretido.
Preenche-se com o coulis de morango e leva-se ao frio para solidificar.
Depois de sólido, desenforma-se e decora-se a gosto.
Eu usei côco ralado.

E dá para fazer com qualquer fruta! 


3 de abril de 2017

Panquecas de maçã





Não costumo lanchar, mas hoje "tinha"que ser!
Como tinha comprado maçãs, usei logo uma...não fossem estragar-se!

Fiz assim:

INGREDIENTES:

1 maçã
1 colher de sopa de óleo de côco
1/2 colher de sopa de mel (usei biológico)
1 ovo
1 colher de sopa de farinha de linhaça
1 colher de sopa de farinha de côco
2 colheres de sopa de leite vegetal 
Canela q.b
Nata de côco para decorar (opcional)

PREPARAÇÃO:

Numa frigideira anti-aderente, mete-se a maçã descascada e cortadinha aos pedaços.
Junta-se metade da quantidade de óleo de côco e o mel.
Deixa-se caramelizar com o lume baixo.

Entretanto, bate-se o ovo inteiro com as farinhas, o restante óleo de côco, o leite vegetal e canela a gosto.
Junta-se metade da maçã caramelizada e tritura-se tudo com a varinha.
Vão a cozinhar numa frigideira anti-aderente.
Deu para 2 panquecas.

Depois de feitas, recheie com a maçã que sobrou, nata de côco e canela.
As panquecas parecem muito grandes mas na verdade ficaram bem mini. Este prato é de sobremesa e ficaram a nadar. Para o lanche foi mais do que suficiente!

Bom apetite!

20 de março de 2017

Como fazer leite e farinha de côco em casa

Foto 1
Para quem deixa de consumir farinhas de cereais e leite animal, depara-se com um aumento de consumo  de leite vegetal e de farinhas alternativas. Artigos estes nem sempre acessíveis a toda a gente. Mas fazendo em casa, o preço torna-se perfeitamente suportável e com a vantagem de sabermos o que estamos a consumir.
Muitas vezes preciso de farinha de côco e aproveito e faço o leite, ou vice-versa. O leite, e porque mesmo no frio tem uma durabilidade muito curta, congelo-o em saquinhos, em couvettes de gelo ou em forminhas de silicone. Quando preciso do leite, já está pronto a usar em "unidoses". Assim com os mesmos ingredientes, tenho leite de côco e farinha totalmente sem aditivos.

Depois de ver várias receitas pela net, e porque somo sempre, impera a lei-do-menor-esforço, faço da forma como vou descrever. Saliento que tentei fazer com côco fresco, mas ou eu não os sei escolher, ou tenho azar, as 3 vezes que os comprei, das 3 vezes os côcos estavam deteriorados. Então passei a fazer com côco ralado de pacote. É no entanto muito importante verificar os ingredientes. Só deve ter côco. Se tiver extras adicionados, não serve. O objectivo é manter uma alimentação limpa e sem aditivos, certo?

Então vamos a isto...

INGREDIENTES:

300g de côco ralado sem aditivos
1 l de água

PREPARAÇÃO:

No processador, colocar o côco ralado e a água. Programar 8 mins/ vel.1/ temp. 100º. Passado esse tempo, a consistência fica como na foto 2.

Foto 2
Entretanto, prepara-se um passador com um pano para coar e um recipiente para receber o líquido coado. Deita-se a mistura sobre o passador com o pano e deixa-se coar. Quando arrefecer um pouco, de forma a que se 
consiga aguentar o calor nas mãos, agarra-se no pano com a mistura lá 
dentro e aperta-se para que o leite escorra. Convém torcer o mais possível 
para eliminar todo o leite. A consistência depois de espremida, deve ficar 
como na foto 3.

Foto 3
Entretanto, e dependendo das minhas necessidades, separo o leite numa parte que coloco no frio para consumir nos dias seguintes e o restante, congelo. Desta vez congelei assim, directo dentro do saco. Depois de congelado, é só desenformar. (foto 4)

Foto 4

Agora vamos à farinha. Ligamos o forno a 150º e colocamos o côco num tabuleiro bem espalhado (foto 5) e levamos ao forno cerca de 1 hora, tendo o cuidado de ir mexendo e verificando se não queima. O objectivo é secá-lo para lhe retirar toda a gordura.

Foto 5
Depois de bem seco, levamos o côco novamente ao processador, que deve estar limpo e bem seco, para triturar até ficar farinha (foto 6).

Foto 6
Eu deixo arrefecer primeiro no tabuleiro e só depois o coloco num frasco de vidro.

PREPARAÇÃO SEM PROCESSADOR:

Coloca-se o côco com a água ao lume numa panela e deixa-se levantar fervura.
Coloca-se a varinha mágica e tritura-se bem até o côco estar bem reduzido.
O resto do processo é igual ao que está mencionado em cima.

Observação: Não fica um leite com a mesma consistência como o de compra mas cá em casa, é o que se gasta. Espero que gostem :)