Mostrar mensagens com a etiqueta Farinha de alfarroba. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Farinha de alfarroba. Mostrar todas as mensagens

14 de agosto de 2017

Bolo de "chocolate" paleo e AIP (sem ovos, sem lactose, sem glúten)

Uma amiga que também está a seguir o protocolo paleo auto-imune este fim de semana publicou esta receita. E tinha um ar tão...tão...arrebatador que enquanto não experimentei, não descansei! E ainda por cima, tinha duas bananas a bater a bota e aqui não se estraga nada. Por isso, vi-me "obrigada" a fazer a receita.


É muito simples:

INGREDIENTES:

1 batata doce laranja e uma fatia de abóbora menina cozidas em puré (fiz um total de 250g)
3 bananas madeira (usei 2 normais bem maduras)
1 cs óleo de coco
1 c café canela
1 1/2 c chá de bicarbonato de sódio
1 cs vinagre de maçã
1 cs azeite
2 cs farinha de alfarroba
Mel a gosto (não usei porque com a banana e a batata doce, depois de provar a massa, para mim não era preciso)
2 cs farinha de coco
1/2 caneca água quente

PREPARAÇÃO:

Juntar todos os ingredientes e passar com a varinha mágica.
Usei a Bimby, programando 30segs, vel. 4.
Colocar numa forma e levar ao forno, 40 min a 180º.


Depois de cozido, fica assim. Só desenformei depois de frio.




Quem também vai fazer? 

Receita original de Ssc Be HomeMade 💗

13 de agosto de 2017

Pão de alfarroba, PALEO - AIP (aprovado em Protocolo Auto-imune)

Uma amiga ontem apresentou-me umas fotos de um pão que tinha um ar delicioso e super-fofo. E claro, a pergunta sacramental, "que ingredientes leva?" E sem surpresas, tinha muita coisa que eu não poderia consumir. Estou a cumprir o protocolo paleo-auto-imune desde fim de abril e desde então, a minha saúde melhorou significativamente. Já reintroduzi alguns alimentos (paleo, claro, como ovos, tomate, nozes) e não tive nenhuma reação adversa, mas prefiro continuar com o protocolo porque deixa o meu organismo mais resistente a qualquer situação adversa que possa surgir. Mas é uma opção minha, claro.

Como já estou na fase de manutenção, há alimentos que já vou reintroduzindo, aqui a farinha de castanhas, mas para quem está na fase de eliminação, deve substituir a farinha. Prometo, assim que possível, fazer esta versão totalmente AIP.




Depois de ver a receita original, decidi adaptar com os ingredientes que eu POSSO consumir.

Fiz com os seguintes INGREDIENTES:

350g de água
200g de fubá de mandioca
40g de farinha de alfarroba
50g de farinha de coco
50g de farinha de castanhas
30g de azeite
1 c.chá de sal
1 saqueta de cremor tártaro
1/2 c.chá de bicarbonato de sódio

PREPARAÇÃO:

Liguei o forno a 200º.

Pesei as farinhas e reservei-as num recipiente com o cremor tártaro e o bicarbonato.
Coloquei a água no copo da Bimby, com o azeite e o sal e programei 2mins/ vel.2/ temp.100º.
Findo o tempo, juntei as farinhas e programei 20 segs/ vel.4.
De seguida programei 2 mins/ vel. espiga.

A massa fica com este aspecto.




Em vez de fazer em pão inteiro, resolvi fazer em bolinhas, dada as minhas desastrosas experiências anteriores nas várias tentativas de fazer pão. E em bolinhas, o desastre é menor.


A massa deu-me para 12 bolinhas pequenas. Podia ter feito maiores mas este tamanho assim para mim, está bom.


Levei ao forno, cerca de 30 minutos e deixei arrefecer cá fora.
O tempo de cozedura depende muito dos fornos. Eu fiz no forno pequeno.

Ficou esta pequena maravilha, mesmo depois de sair do forno (era preciso testar, não era?) 😆😆



 Fiz logo 2 sandochas para o pequeno-almoço com salmão fumado.


Cortado à faca, fica assim... (mas ainda estava morno)






Eu cá sou suspeita, mas ficaram deliciosos...a tal ponto que os congelei assim que arrefeceram para evitar cair em tentação 😀

8 de agosto de 2017

Semi-frio de amoras silvestres

Adoro cheesecake, mas como agora não consumo o "cheese", fica meio difícil fazer ou comer o "cake". Há dias uma amiga publicou um semi-frio delicioso, mas como estou em protocolo auto-imune, é preciso recorrer a outros ingredientes dentro dos permitidos.

Para quem não conhece o protocolo, parece ser muito restritivo em termos de escolhas disponíveis. Mas como em tudo na vida, há que estabelecer prioridades, e a minha é ter saúde, visto ter Fibromialgia e 2 doenças auto-imunes. E com o protocolo tenho conseguido controlar e minimizar os sintomas.

Mas vamos ao que interessa!

Há dias tinha feito uns "iogurtes" de coco e tinha ainda um para gastar. E resolvi aproveitá-lo da melhor maneira 😏


As quantidades são irrisórias porque fiz só um pequenino para mim, uma vez que aqui em casa mais ninguém me segue, mas é uma questão de multiplicar os ingredientes.


Precisei dos seguintes INGREDIENTES PARA A BASE:
2 colheres de sopa de coco ralado
1 colher de sopa de farinha de alfarroba
1 pitada boa de canela de Ceilão
Açúcar de coco q.b. (aqui só polvilhei porque as quantidades eram poucas), podem usar mel ou outro adoçante natural ao vosso gosto
2 colheres de sopa de óleo de coco (o meu estava derretido, mas se estiver sólido, basta 1 colher e derreter)




Mexi tudo bem com uma colher e forrei a base de uma forminha redonda (esta tem 8 cm de diâmetro) e levei ao frio para solidificar.




O RECHEIO:

Raspa de meia lima
1/2 saqueta de gelatina neutra em pó

Derreti a gelatina num pouco de água quente e depois de dissolvida, juntei-a ao iogurte já com as raspas de lima. Depois de tudo bem misturado, cobri a base do semi-frio e levei novamente ao frigorífico para solidificar.




PARA A COBERTURA usei:

50g de compota de amoras silvestres (receita aqui)
1/2 saqueta de gelatina neutra em pó

Aqueci a compota uns segundos no microondas e juntei a gelatina em pó e mexi até dissolver.
Depois de bem misturada, cobri o semi-frio já solidificado.
E levei de novo ao frio.


Depois de solidificado, retirei e desenformei e ...comi 😁😁.


É muito fácil de fazer e é ótimo para aproveitamentos.


9 de maio de 2017

Pão paleo AIP

Já tentei várias receitas de pão feito com as poucas farinhas permitidas no protocolo, mas foi tudo direitinho ao lixo. Não que seja dependente de pão, mas ao pequeno-almoço, às vezes falta-me inspiração e sobretudo vontade de comer sopa ou carne com legumes ou salada.

Mas há dias uma amiga publicou uma receita de pão que eu fazia na altura em que comprei a Bimby e nunca mais a voltei a fazer...até agora. Lembro que este pão tinha ficado muito fofo, mas que levava um ingrediente estranho e que na altura, as colegas a quem dei a provar, ninguém acertou no ingrediente surpresa 😊 e a melhor parte é que não sabia ao tal ingrediente surpresa

Então vão precisar de:


INGREDIENTES:

200g de cascas de banana biológicas (sim, leram bem)
400g de água morna
3 cs de azeite extra-virgem
200g de farinha de mandioca
50g de farinha de alfarroba
1 saqueta de fermento para bolos (sem glúten)
2 c.chá de flor de sal

PREPARAÇÃO:

Liga-se o forno a 180º.
Retiram-se as extremidades das cascas de banana e trituram-se juntamente com a água. Na Bimby usei a velocidade 5-7 durante 1 min.
Fica uma massa castanha e espessa.



Juntei os restantes ingredientes e misturei tudo na velocidade 4 até ficar uma massa homogénea.
A massa tem de ficar com a consistência suficiente para formar bolas.
Se ficar muito líquido, junta-se mais um pouquinho de farinha, se ficar espessa, junta-se um pouco mais de água.
Moldam-se bolinhas e vão ao forno cerca de 40 minutos.
Findo o tempo, retiram-se imediatamente do forno e deixa-se arrefecer.
Esperar que arrefeça completamente antes de abrir, senão fica com consistência de borracha.
Esta massa deu-me para 8 bolinhas.
Espero que gostem 😄

24 de abril de 2017

Tatinhos



Estando a fazer o protocolo alimentar para auto-imunes, não posso usar a maioria dos ingredientes que se vêem na paleo para confeccionar doces ou sobremesas.


O mais limitativo para mim, é não poder utilizar ovo, nem frutos secos. Por isso, há que puxar pelos (poucos) neurónios activos! 😆


INGREDIENTES:

250g de batata doce cozida (era a que tinha)
2 colheres de sopa bem cheia de farinha de côco
1 colher de sopa bem cheia de farinha de alfarroba
1 colher de sopa bem cheia de óleo de côco (se estiver derretido, é melhor usar 2)
Canela a gosto (usei meia colher de café)
Gengibre em pó a gosto (pus meia colher de café)
1 boa pitada de flor de sal
Coco para decorar
(Se a batata doce estiver quente, deixa-se a massa arrefecer um pouco antes de moldar)

PREPARAÇÃO NA BIMBY:

Descascar a batata e colocá-la na Bimby, junto com os restantes ingredientes (excepto o côco para decorar).
Programar 30 segs/ vel 5.
Fica com a consistência espessa como na foto 2.
Retirar a massa da Bimby e moldar bolinhas.
Envolvê-las no côco ralado e colocar nas forminhas de papel.
Levar ao frio para solidificar um pouco.

PREPARAÇÃO TRADICIONAL:

Descascar e cortar a batata e reduzi-la a puré.
Numa taça, juntar a batata com os restantes ingredientes (excepto o côco para decorar).
Se tiverem Bimby, juntem todos os ingredientes no copo e programem uns segundos na vel 5.
Assim que a massa ficar com uma consistência homogénea, moldam-se pequenas bolinhas que se passam por côco ralado.
Colocam-se em forminhas de papel e vão ao frio para solidificar um pouco.



Obs: Para quem tenha maior liberdade de escolha a nivel de ingredientes, pode juntar frutos secos, ou envolver com amêndoa picada, que também deve ficar bom.




Obs 2: Sacrifiquei-me e provei logo um....só mesmo para vos mostrar o interior ;)

Espero que gostem!